Uma carta à Louisa

18:58


Louisa,

Você nasceu em tempos de friagem, numa manhã de inverno inglês. Apesar dos flocos de neve que cobriam o hospital, veio ao mundo mais aquecida do que uma fogueira. Não pelas roupas em miniatura repletas de pelugem, mas por todas as pessoas ao seu redor que te deram os primeiros beijos na testa. 

Você vai descobrir que é difícil ficar longe de quem ama, mas pode ter certeza que seu cabelo arrepiado e suas bochechas gigantes nunca estarão sozinhas. Mesmo que eu esteja a 9508 km de distância, imagino o som dos seus choros na madruga e da sua risada fininha, a textura dos seus fios castanhos e ainda o tom da sua íris. 

Costumo brincar que, no futuro, serei aquela típica tia descolada e solteira. Mas quem posso enganar? Não estou em Sex and The City e sei que sou só mais uma boba que, ao ver um sorriso seu na tela do celular, já enxerga um arco-íris no dia chuvoso. Posso te ver de pertinho amanhã ou daqui três anos, ainda assim conhecerei e protegerei esse pequeno coração dividido em duas terras. 

Você também poderá gostar

0 comentários