Amigos de Couchsurfing e um programa inusitado

13:49


Dormir na casa de terceiros traz prisão de ventre e esperas longas na porta de entrada. Quando se viaja à la low cost, não há estadia no Hotel Hilton. Nem Ibis. Hostel é opção, mas Couchsurfing é meta ideal. O CS reúne anfitriões dispostos a ceder seu sofá a viajantes pés de chinelo. Se tiver sorte, pode rolar uma cama extra. Aqueles que viajam com pouco deixam em casa o incômodo em dividir quartos com estranhos. Não custa euros, mas simpatia e privacidade. 

Alguns costumes dos mochileiros devem ser seguidos. As últimas oito horas passei espremida no assento do veículo precário da Eurolines. Viagens noturnas economizam, o banco vira sua cama e o valor da passagem rende. Finalmente, última parada, a estação de ônibus Népliget, Budapeste.

A energia corporal já havia chegado aos 20%, quando passei dois dias na cidade húngara. Por sorte, uma estudante de psicologia dormiu no quartinho que morei no Porto, mais ou menos um mês antes, e indicou-me um rapaz supostamente legal que morava em (Buda)Peste. 

Heictor e seus amigos eram simpáticos, mas ainda assim sentia como se invadisse a casa alheia. Tive sorte e me instalei no quarto desocupado da república. Era sempre melhor quando os residentes eram brasileiros. Identificação instantânea. Bar alternativo na primeira noite, Beer Bike na tarde seguinte. O programa era popular entre os intercambistas da cidade. Era normal passarem, pelas ruas do centro, bicicletas com dois bancos para dez pessoas beberem e pedalarem ao mesmo tempo.

O total de cerveja divido por quantidade de pessoas dava um litro para cada. Dito isso, o restante da noite é uma incógnita. Obrigada, pessoa que me ajudou a chegar na rua de nome bizarro onde estava hospedada. 

Um dia depois, precisava sair às 14h para chegar a tempo no aeroporto. Consegui acordar às 10h com peso na consciência pela cerveja e os 10% de ânimo. Tentei compensar ao conhecer mais pontos turísticos. Esse feito quase me custou a volta para casa (lê-se Porto e, depois, Brasil). Não porque não voltei ao apartamento no horário, mas depois de malas feitas, a casa estava vazia. Ou seja, sem chaves.

Sai atrasada. Graças a Deus nem tanto. A dor nas costas aumentou com o peso da mochila somado à tensão. Descobri que cerveja combinada com bicicleta é um perigo e Couchsurfing sem hora de check out pode ser problema.

Você também poderá gostar

1 comentários

  1. Olá Renata
    Chegou o Swonkie, uma plataforma de gestão de Redes Sociais onde consegues escrever e publicar os teus posts do Blog com análise de SEO e partilhar ou agendar em várias redes sociais em segundos. Consegues ainda ter as estatísticas das tuas publicações e acesso à nossa comunidade de Bloggers.
    Gostaríamos de te convidar a usar o Swonkie com o teu Blog.
    O Swonkie é o melhor amigo dos Bloggers, e desenhamos isto a pensar em Blogs como o Peregrina De Papel.
    A nossa equipa estará em Swonkie.com para te conhecer. Contamos então contigo :) ?
    P.S - Tivemos de entrar em contacto contigo porque não encontramos o teu email no blog.
    Até Já,

    Equipa Swonkie

    ResponderExcluir