Andanças por Madri: Parte I

19:48


Precisávamos decidir como ir a Madri e no final eu e meu pai optamos pelo ônibus. Compramos a passagem na Eurolines e a viagem durou, fora as paradas, cerca de oito horas. Lembrando que de Portugal a Espanha o fuso é de uma hora a mais. A paisagem era bem bonita, passamos por Salamanca, cidade também habitada por muitos universitários e que me chamou a atenção por tudo ser de tijolinhos. No caminho, muitas árvores, secas e floridas, alguns lagos, outras cidades mais distantes.


Pegamos um hostel na região central e saímos a pé seguindo nosso mapa. Madri é grande, têm muitas estações de metrô, o que ajuda, mas é mais confuso e cheio também, tendo em vista que meu parâmetro para comparar é apenas o Porto. Há mais moradores de rua e sujeira nas calçadas. Os espanhóis não são simpáticos como os portugueses. A língua faz muita diferença. Às vezes era mais fácil pedir para falarem em inglês. Os avisos para cuidar dos pertences nos deu uma ideia de que há muitos furtos na cidade. Uma grande observação: nosso churros aqui chama porra, é, porra mesmo. O que eles chamam de churros é mais fino, longo e mais salgado, sem recheio.


Fomos ao Plaza Mayor, uma praça rodeada de prédios baixos que fica no centro da cidade. Sua origem é do século XV. Encontramos lá o Gato de Botas, que veio se aproximando quando estávamos tirando fotos, logo pedindo um euro. Até miou quando recebeu menos.


Essa praça fica na rua Paseo Recoletos, perto da Plaza de Cólon, feita em homenagem a Cristovão Colombo, e da Biblioteca Nacional. É bem larga, cercada de árvores, chafarizes e bancos. Fazia mais ou menos 10º celcius e vários skatistas praticavam suas manobras lá. Me deu vontade de pedir o skate emprestado para ver se esquentava um pouco. Alguns tombos, com certeza. De tempo em tempo, sentia uma ventania na direção oposta que quase me fazia cair.


A primeira foto não faço ideia onde é, só sei que foi entre as estações Antón Martin e Serrano. A segunda é do grande Palacio de Cibeles e a última um Hard Rock que não entramos por acharmos caro.

Por fim, fique com nosso mapa riscado:

Você também poderá gostar

0 comentários